Muitas das almas perdidas de Ossos (1997) e No Quarto de Vanda (2000) regressam à paisagem espectral de Juventude em Marcha, que confere uma nova grandiosidade teatral e trágica aos filmes das Fontaínhas de Pedro Costa. Desta vez, Costa concentra-se em Ventura, um velho imigrante de Cabo Verde, que vive em Lisboa. Após 34 anos de casamento, a sua esposa Clotilde deixou-o e resta-lhe reflectir sobre a vida dura e melancólica que levou. Na sua desesperança impotente, Ventura escreve-lhe uma carta comovente que recita uma vez atrás da outra enquanto se prepara para se mudar para um apartamento vazio no bairro desconhecido para o qual foi realojado. Como Cyril Neyrat sugere, "é Ventura quem dita a forma do filme, quem convida Costa a abandonar a horizontalidade da crónica em prol das linhas verticais e oblíquas da grande forma épica. Ventura é um bloco de estranheza, uma presença anacrónica que carrega consigo toda a história do seu povo e do seu bairro".

  • Duração: 156'
  • Ano de produção: 2006
  • País: PT
  • Idioma: PT
  • Festival de Cannes 2006 – Selecção Oficial em Competição

Pedro Costa

Ficha Técnica